terça-feira, 24 de março de 2015

OS ENCONTROS COM AS FAMÍLIAS SÃO ADEQUADOS?

Caso 1. O diretor convidou um psicólogo para falar sobre agressividade infantil. Como deve ser essa participação?

a) É importante que ele enfoque teorias sobre o tema. Isso dá credibilidade à escola, uma vez que mostra que o trabalho pedagógico está respaldado por estudos científicos.
b) Ele deve falar do cotidiano dos pais com linguagem acessível. Assim, todos ganham subsídios para compreender os filhos e ficam à vontade para tirar dúvidas.
Atitude adequada.(alternativa b)  A presença de um especialista que trate de um assunto de interesse dos responsáveis é muito positiva. Isso gera a oportunidade de discutir situações reais com embasamento teórico. No entanto, a apresentação precisa ser direcionada a atender as expectativas do público com sugestões que ajudem no dia a dia.

Caso 2. Os responsáveis por um aluno do 7º ano são chamados à escola depois de ele agredir verbalmente uma professora duas vezes. Qual a postura indicada para o gestor na conversa com os familiares?

a) Antes da reunião, falar com o jovem. No encontro com os pais, relatar os episódios e explicar a conversa já realizada. É necessário entender a razão da agressividade e, então, sugerir que, juntos, encontrem uma solução para o problema.
b) Esclarecer que a escola nada tem a ver com o comportamento agressivo do aluno e que a culpa pelos episódios de indisciplina é da Educação recebida em casa. Portanto, a família precisa buscar uma solução.
Atitude adequada(alternativa a). A maneira como conduzir o encontro é fundamental para que os responsáveis não se sintam julgados, e sim acolhidos. Em vez de rotular o comportamento do aluno, o gestor precisa explicar as dificuldades dele em lidar com alguns sentimentos e descrever as iniciativas tomadas para tentar resolver a questão.

Caso 3. O ano começou e os alunos do 6º ano estão com dúvidas sobre as mudanças decorrentes da transição para os anos finais. Os pais têm enviado bilhetes na tentativa de solucionar algumas questões. O que a equipe gestora deve fazer?

a) Enviar para os responsáveis um informativo com perguntas e respostas sobre essa transição. Pode esclarecer aí aspectos como quantidade de disciplinas e horários de entrada e saída.
b) Organizar uma reunião que discuta as mudanças, prever um momento para que todos possam fazer perguntas e apresentar os novos docentes, que podem fazer um resumo do planejamento de suas disciplinas.
Atitude adequada.(alternativa b) Nessa fase, é comum os responsáveis terem muitas dúvidas. Para atender às demandas e expectativas das famílias, o ideal é organizar um encontro em que o tema seja transição. Assim, gestores e docentes podem esclarecer os pais e estreitar a parceria com eles.

Caso 4. O ano letivo começou, há uma nova diretora e ela quer promover uma reunião para estreitar o relacionamento com as famílias. Qual a melhor preparação para o encontro?

a) Marcar uma reunião com a coordenação pedagógica e os professores para discutir quais temas relativos ao regimento interno, ao projeto político-pedagógico (PPP) e aos conteúdos das disciplinas merecem entrar na pauta.
b) Comunicar aos professores que, como eles conhecem mais a escola, serão os responsáveis pela elaboração da pauta. Eles também deverão conduzir a reunião, chamando a equipe gestora só no final para breve apresentação.(alternativa a) Atitude adequada. A preparação deve ser feita em conjunto. Além disso, no primeiro encontro, gestores, docentes e representantes de outras áreas precisam se apresentar às famílias e traçar um panorama geral da instituição. Isso mostra o alinhamento entre todos e ajuda os pais a entender a função de cada um.

Caso 5. O bimestre terminou e a produção das turmas de Educação Infantil é enorme. Sabendo que cada uma foi pensada com um propósito, o que a coordenação pedagógica pode sugerir para apresentá-las às famílias?

a) Reunir as produções de cada criança em uma pasta e enviar para casa com um bilhete indicando que os pais guardem esse material que registra o avanço dos pequenos em relação a aspectos como coordenação motora.
b) Selecionar as atividades que mostrem o percurso de desenvolvimento da criança e apresentá-las junto com o professor em um encontro com os pais. Dessa maneira, é possível, por meio delas, indicar as habilidades que foram adquiridas durante o bimestre. (alternativa b) Atitude adequada. Ao ver as produções e ouvir as explicações dos educadores, os responsáveis entendem a relação delas com os conhecimentos construídos. É válido apresentá-las em papel, por meio de fotos ou vídeos, de preferência acompanhadas de uma legenda clara.

Caso 6. Os alunos do 4º ano estão usando calculadora nas aulas de Matemática e isso tem gerado inquietação nos pais, que acham que a escola adotou o caminho mais fácil em vez de ensinar a fazer cálculos. O que a coordenação pode fazer diante de dúvidas como essa?

a) Ignorar as críticas porque os familiares não têm a menor ideia do que se passa dentro de uma classe. Além disso, as aulas são de responsabilidade do professor e se ele adotou a calculadora é porque possui um motivo.
b) Aproveitar a oportunidade para convidar os pais para um encontro em que essa e outras questões pedagógicas sejam discutidas. Nesse caso, é válido pensar em algumas atividades que os familiares possam realizar para entender o plano do professor e as dificuldades que os alunos enfrentam.(alternativa b)
Atitude adequada. Falar com os pais sobre questões pedagógicas possibilita que eles entendam o trabalho feito na escola e possam cooperar com as crianças. Nesse caso, vale explicar que o uso da calculadora permite explorar relações matemáticas, dominar diferentes estratégias de cálculo e refletir sobre a grandeza numérica.



   Aurélio Amaral (gestaoescolar@fvc.org.br)





Nenhum comentário:

Postar um comentário